Ginecologista

Ginecologista

É indicado ir ao ginecologista pelo menos 1 vez ao ano para realizar exames de diagnóstico, como papanicolau, que ajuda a identificar precocemente alterações no útero que quando não são tratadas corretamente podem levar ao surgimento de câncer.

Além disso, também é importante ir ao ginecologista para identificar doenças sexualmente transmissíveis, como sífilis ou gonorreia ou fazer um ecografia ginecológica para avaliar uma gravidez.

Além disso, alguns dos sinais que indicam que a mulher deve ir no ginecologista incluem:

1. Menstruação atrasada

Quando a menstruação está atrasada pelo menos 2 meses e o teste de gravidez de farmácia deu negativo é necessário ir no ginecologista, pois o atraso da menstruação pode ocorrer quando a mulher desenvolve problemas no aparelho reprodutor, como ter ovários policísticos ou endometriose ou devido ao mau funcionamento da tiroide.

No entanto, o ciclo também pode ficar alterado quando a mulher deixa de usar o anticoncepcional, como a pilula, muda de anticoncepcional ou quando está muito estressada durante vários dias. Saiba outros motivos de a menstruação atrasar em: Falta de menstruação nem sempre é sinal de gravidez.

2. Corrimento amarelo ou com mau cheiro

Ter corrimento amarelo, esverdeado ou com cheiro forte são sinais de infecção, como vaginose, gonorreia, clamídia ou tricomoníase. Além destes sintomas é frequente ter coceira na vagina e dor ao urinar.

Nestes casos, geralmente, o ginecologista faz um exame, como papanicolau ou ecografia ginecológica, para analisar o útero e fazer o diagnóstico correto, sendo que o tratamento é feito com antibióticos, como Metronidazol, Ceftriaxona, ou Azitromicina que podem ser usados em comprimidos ou pomadas. Conheça um tratamento natural em: Remédio caseiro para corrimento vaginal.

3. Dor durante a relação sexual

Na maioria dos casos, a dor durante a relação sexual, também conhecida por dispareunia, está relacionada com a falta de lubrificação da vagina ou diminuição da libido que pode ser provocada pelo excesso de estresse, uso de alguns medicamentos, como antidepressivos, ou conflitos na relação do casal.

No entanto, a dor também pode surgir quando a mulher tem vaginismo ou infeções vaginais e, é mais frequente na menopausa e no período pós-parto. Para tratar a dor durante o contato intimo, dependendo da causa, o médico pode indicar o uso de antibióticos, indicar a realização de exercícios de ​Kegel ou usar lubrificantes. Para conhecer mais causas leia: O que pode ser e como tratar a dor durante a relação sexual.

4. Sangramento fora da menstruação

Normalmente, o sangramento fora do período menstrual, não indica nenhum problema de saúde grave e é comum depois de um exame ginecológico, como papanicolau. Além disso, também pode acontecer durante os primeiros 2 meses, caso da mulher mude o método anticoncepcional.

Além disso, pode indicar a presença de pólipos no útero ou pode indicar gravidez, no caso de ocorrer 2 a 3 dias depois do contato intimo e, por isso, é necessário ir no ginecologista. Para saber mais causas leia: O que pode ser o sangramento fora do período menstrual.

5. Dor ao urinar

A dor ao urinar é um dos principais sinais de infecção urinária e causa outros sintomas como urina turva, aumento da frequência em urinar ou dor no abdômen. Veja mais sintomas em: Sintomas de infecção urinária.

O tratamento para a dor ao urinar normalmente é feito com o uso de antibióticos indicados pelo médico, como sulfametoxazol, norfloxacino ou ciprofloxacino, por exemplo. Para saber se está com uma infeção saiba mais em: Como fazer um exame caseiro para detectar infecção urinária.

 

Faça seu Pré Agendamento

Fale Conosco

Fale Conosco